Mystical Tales Shard

Orcs se dividem de modo simples, a união mais comum da sociedade orc é o Clã. Um Clã é formado por filhos de uma mesma Kurk ou de um mesmo Urk. Então antes da guerra era bastante comum que em uma tribo houvesse apenas um clã, talvez dois ou três. Mas agora, todos as Tribos unificaram-se em uma: Maahbrug; então até que se passem algumas gerações, haverão muitos clãs em Maahbrug.

Todas as tribos possuem um Goth, um líder tribal que mantém seu poder enquanto conseguir – seja por carisma, força bruta ou habilidade de governar. E o Goth possui um Konoh, seu braço direito geralmente o guerreiro mais forte da tribo. Além disso, em uma tribo sempre há pelo menos um Mojokai, que zela suas tradições e garante a memória social.

Costuma-se dizer que todo orc luta pelo menos uma vez na vida. Os Brakadays, guerreiros, de uma tribo protegem a comunidade. No entanto, se a tribo for ameaçada todo cidadão – seja criança, jovem, adulto ou velho – também deve lutar. Não que venham a fazer a diferença, mas a maioria dos orcs prefere morrer a ser considerada inútil por seus iguais.

Não há distinção de sexo nas funções sociais da tribo – a não ser, é claro, o que envolve a gestação e a amamentação. Kurks e Urks fazem as mesmas coisas e são respeitados da mesma forma. Isso talvez tenha facilitado a aproximação dos Drow e a aceitação da aliança entre as mais casas drow mais conservadoras.
O coração da sociedade órcquica são suas historias e tradições mantidas pelos Mojokais. Os membros de uma tribo são muito ligados aos seus antepassados e seus feitos. Isso faz com que haja uma fraternidade notável entre eles, mas isso não impede o derramamento de sangue ocasional.

Os orcs são o ápice da criação. Eles venceram o grande conflito interior. Eles evoluíram em uma sociedade que não conhece estresse ou angústia. Quem somos nós para julgá-los? Nós, os elfos, que falhamos? Ou os humanos em sua estrada rumo à morte? E por quê? Porque nós tentamos responder à GRANDE QUESTÃO, questão essa que os orcs nem se importam de perguntar! Eu vejo uma cultura orc que é tão forte quanto crua.”
    Ilivir, o Louco, filósofo elfo.

Assim, podemos listar posições sociais e suas funções:
- Goth’urk: Líder máximo. Toma todas as decisões. Zela pelo bem da tribo.
- Konoh’urk: O campeão da tribo, braço direito do Goth’urk. Jamais recusa um pedido do Goth’urk, zela por sua vida e nunca retira-se de uma luta deixando algum membro da tribo para trás.
- Mojokai’urk: Xamã da tribo, que registra e relembra a história e tradição da tribo, ajuda da maneira que for possível a tribo como um todo.
- Brakaday: Guerreiro da tribo. Defende a tribo.

Mentalidade Órcquica


Orcs são práticos, eles buscam sempre o modo mais simples de fazer as coisas. Se há fome eles comem; se não há comida, eles matam algo para comer; se a presa é grande demais, eles inventam lanças e armas de arremesso. A Sociedade orc evoluiu a partir de suas necessidades. Tudo que não é necessário é ignorado ou visto como uma piada, algo divertido de se ver ou fazer, que não deve ser levado a sério.

A maioria dos orcs não é de pensadores, e mesmo os pensadores não são inteligentes. Sabem muito pouco sobre ler e escrever e usam um alfabeto rúnico que apenas poucos Mojokais sabem. A maior parte da sociedade prefere desenhos, como os que aparecem nos Círculos da Memória.

Contudo pessoas que tentam tratar orcs como crianças ou retardados raramente vivem para contar o tamanho do seu erro. Orcs possuem uma sabedoria intuitiva bruta e um bom conhecimento da terra, a maioria dos orcs sabe achar o norte olhando pelas estrelas, tem conhecimento sobre plantas e ervas, sabe como extrair os melhores cortes de uma carcaça e possuem um instinto feroz em combate.

Forasteiros raramente veem o outro lado.Quando não estão lutando, orcs são criaturas sociáveis. Geralmente todos os indivíduos da mesma tribo se conhecem e trocam histórias. É comum que comam e bebam juntos, crianças orcs são consideradas propriedade da tribo e frequentemente são educadas por todos. Orcs gostam de contar piadas, insultar outros orcs, cantar músicas rústicas e de desafios físicos. Ocasionalmente organizam um tipo de teatro sangrento que não faz sentido para nenhum forasteiro.

Ao contrário do que se pensa, orcs são bem limpos, embora nenhum orc tome banho propriamente dito, muitos deles gostam de nadar em dias quentes, e há relatos de uma cerimonia onde eles se limpam e limpam suas armas. Inclusive, em Maahbrug há o gostume de lavar o sangue de seus inimigos na água da Maahbrug como forma de dedicar as mortes à Entidade.

“Urkz sempri vencem us kombatez, se ele num vencer é porke num vale,e si eli fugir é pra lutrar depoiz e vencer”
    Mag, Navalha-ki-anda, Goth ork.

Combate Órcquico

Embora não usem estratégias militares como as demais raças, como paredes de escudos, cargas de cavalaria, saraivada de flechas e afins, os orcs são improvisadores habilidosos e instintivamente combatem de maneira eficiente.Orcs nunca elaboraram armas de cerco ou ferramentas estratégicas complexas – estas vieram como presentes drow, afim de uma aproximação das sociedades.

Orcs não vêem problemas em atacar pela costas, em maior número, atacar mulheres ou crianças ou qualquer outra coisa vista por humanos como “desonrada”. Orcs lutam para vencer, e os fins justificam os meios. Existem muitas histórias sobre heróis que venceram combates com força física, mas também histórias de heróis ardilosos que venceram combates pela enganação. Ambos são igualmente reverenciados.

Família Órcquica
Ao contrário de muitas culturas, não há registros na cultura órcquica de romances ou paixões – embora não se saiba se eles possuam esse tipo de sentimento. A maioria dos orcs quando chega à puberdade, algo entorno dos 12, tem vontade de ter seus próprios filhos e como dita a praticidade orc, eles fazem isso do modo mais simples.

O orc busca uma Kurk que seja de seu agrado – geralmente as de ancas largas e notável força física-, se aproxima dela e declara que gostaria de ter filhos. Cabe então à Kurk aceitar ou não. Frequentemente, há demonstração de habilidades físicas, astúcia ou riqueza para a Kurk, tudo isso é feito de maneira rápida e óbvia.

A gestação orc dura 6 meses, a mãe raramente para suas atividades. Enquanto a Kurk estiver grávida espera-se que o último orc com quem ela se deitou cuide de seu bem estar, lhe traga comida e ajude no parto. Tudo isso para garantir a vida da criança, não para agradar a Kurk. Assim que a criança nasce, ela é acolhida pela tribo e seus pais seguem seus caminhos separados. O renome ou a desonra de crianças que nascem mais fortes ou mais fracas caem sobre seus genitores, então kurks que já deram a luz a crianças vigorosas ou cujos filhos tornaram-se grandiosos são mais procuradas.

A criação da criança varia de tribo para tribo. Antes da guerra, as crianças da tribo Zlasgelu do norte eram deixadas na floresta para se virar sozinha, as da tribo Molojburz eram amamentadas por todas as Kurks da tribo e caçava cada mês com um urk da tribo, e assim por diante em cada tribo. Agora, apesar de Maahbrug ter seus próprios costumes, ela está aberta a absorver costumes dos novos membros.

Graças a vida com os drows alguns orks passaram a morar com kurks fixas, e formar famílias, mas isso é visto como algo estranho e considerado apenas uma moda que já já passa.

    “Ew… como assim o seu pai é seu irmão?”
    Jalil Sizth’lls, Matriaca Drow.

Sponsors